Randômico


Você tá dando muita importância à Internet...

Ouvi essa frase outro dia e parei pra pensar: é, talvez seja verdade. E nem é a importância que eu dava antigamente, de postar textos revoltados neste blog (coisa que não faço há bastaaaante tempo), mas sim uma importância exagerada para as redes sociais. São muitas, mas eu só tinha três: Orkut, Facebook e Twitter.

Pra quem não conhece, resuminho das três:

Orkut: Você posta fotos, vídeos, faz parte de comunidades, encontra amigos e grupos de interesse.

Facebook: Você posta fotos, vídeos, encontra amigos e grupos de interesse. Não é que não tenha comunidades, mas lá é outra coisa. Você “curte” determinada coisa e aí as pessoas ficam sabendo o que você “curtiu” porque aparece no seu perfil. Sinceramente, não sei bem como funciona o Facebook. Minha passagem por lá durou menos de quatro meses e saí de lá com o mesmo conhecimento de quando entrei: quase nenhum. Mas eu disse que iria fazer um resumo e aqui estou escrevendo um livro sobre ele. Resumindo: Facebook é um Orkut que ganhou fama internacional e inclusive um filme que tem o Justin Timberlake no elenco. Ou seja, é o primo rico das redes sociais.

Twitter: microblog onde você conta “o que está acontecendo” em 140 caracteres. A pergunta inicial era “o que você está fazendo”, mas aí o negócio virou um diário atualizado a cada trinta segundos com clássicos como “vou tomar banho” ou “tô com fome” e aí os donos do trem resolveram mudar. Mas isso não impede as pessoas de continuarem usando-o como um diário e continuarem escrevendo “os clássicos” a cada trinta segundos.

Bom, é isso. E eu tinha os três. Tinha: encerrei os dois primeiros. Realmente eu estava dando muita importância pra essas coisas e perdia muito do meu tempo (que já não é lá grandes coisas) presa nessas redes, com o perdão do trocadilho. No Twitter eu continuo porque gostei da ideia. Notícias atualizadíssimas em tempo real e com todo o sarcasmo que só jornalistas humoristas poderiam trazer pra mim: adoro. Pílulas de humor em 140 caracteres que me tiram da minha realidade por poucos segundos. Afinal, você não vai precisar de muito tempo pra ler (ou escrever) 140 caracteres. Não interrompe o seu trabalho e você recebe notícias em primeira mão. Perfect! E pra mim, que tenho o costume de falar em 90 linhas o que poderia dizer em 10, é sempre um desafio.

Enfim, so what? E esse texto é sobre o que? Exatamente sobre não se expor e não se deixar levar pelas “comodidades” das redes sociais. A princípio queremos participar de todas, e realmente achamos aquilo tudo muito importante, muito relevante. “Mas e como vou falar com meus amigos?” Eles têm seu e-mail, seu telefone, por onde podem conseguir seu endereço ou marcar um almoço para que você conte as novidades. Você não precisa postar fotos no Orkut a cada grande evento (ou a cada foto no espelho) e não precisa atualizar sua frase do Facebook pra dizer que vai viajar. As pessoas vão perceber que você não está por perto e vão deduzir. Enfim, viva mais, acesse menos. A Internet não perde nada sem você por todo lado. Mas você perde muito estando conectado 24 horas. Perde, principalmente, seu valioso tempo.

P.S: e não, eu não colocava frases de que ia viajar e não tirava fotos no espelho. Acho brega. #ficadica



Escrito por Joceline Gomes às 15h16
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Meu perfil





BRASIL, Centro-Oeste, Mulher, de 20 a 25 anos, Arte e cultura, Cinema e vídeo, Música



Histórico


Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 Personas Non Gratas
 Poluição urbana em Taguatinga
 Poluição urbana - Colônia Agrícola
 Íntimo Impessoal
 N Coisas
 Aquário da Alma
 Um blog de Helder Ful@no
 Dramas do Sucesso
 Sem título - Universo Particular